Som que das matas, na rua ecoa: Mauloa.

É a energia pura que emana das matas convertida em ritmo pelas calçadas, com reverb, delay e informação: Mauloa. As linhas de guitarra psicodélicas são cortesia de Tiago Croce, conduzindo à uma experiência jamaico-brasileira, harmônica à mística flauta de Pedro Alfeld. Da terra, pulsam os latinos ritmos de Bruno Targs. Na cozinha, os grooves de Thalles Oliveira e os graves mantras no baixo de Victor Sampaio, inflamam e conduzem a dança. 
Em propagação desde 2016, foi em Juiz de Fora que "fez-se luz". No núcleo da arte autoral de Minas Gerais, fonte rica de inspirações, alimento vem da boa música que corre as ruas e das cachoeiras que correm as serras. Referência vem dos tambores de Minas aos tambores de África; do Reggae Dub caribenho ao Manguebeat nordestino; vem da América Latina.
Força ativa na cena local, já tocou ao lado de grandes nomes nacionais, dentre os mais recentes Cidade Negra e Braza. Já percorreu os estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Espírito Santo, além - é claro - de diversas cidades conterrâneas. Em 2018 criou seu baile identitário, sucesso absoluto, "O Bailoso" e  lançou seu primeiro trabalho autoral, o EP "Num Sentido Geral". Em 2020 lança o compacto digital "Seu Doutô", o single-duplo "Terráqueos" e executa a UTROPICÁLIA -LIVE, uma experiência audiovisual sensorial. A propagação de boa música e lucidez são identidade da banda. 
A dança e energia altamente contagiante são características irrefutáveis dos shows. Ficar parado não é uma opção, a alma pede baile. Os dubs ao vivo de Kaká Rodrigues convencem a timidez à sair do lugar. Vai além de um show, é uma experiência que marca e transforma. É pura vida em groove sincero.
Back to Top