Cannabis sativa. 
O Brasil é referência em guerra às drogas desde o século XIX, no combate ao pito do pango. Com uma população total estimada em 200 milhões de habitantes, sua população carcerária é de 700 mil detentos*. Isto é, 197% acima da capacidade de nossas cadeias. A taxa de presos há mais de 90 dias SEM CONDENAÇÃO beira 40%, sendo estes, em uma enorme maioria, por posse de drogas - mais frequentemente, maconha. Nos últimos anos e com a "nova lei de combate às drogas" (2006) o número de presos aumentou em mais de 600%, uma vez que a lei tornou subjetiva a acusação por tráfico. Dada à uma polícia racista a decisão de quem e como punir, 67% desses presos são negros e 80% não cursaram sequer o ensino médio. 
Tratando-se de uma erva ancestral e sagrada - e de seres coexistentes em um tempo e lugar no espaço -, temos o pleno direito de gozá-la, seja de maneira médica, cultural, religiosa ou recreativa. Mas se tratando de usuários na realidade brasileira, temos o pleno DEVER de combater o fascismo e o milicianismo dessas políticas, tal qual a ignorância e os preconceitos da opinião pública. 
Eleve-se por sua fumaça e goze de seus poderes, mas não se esqueça do sangue e da violência que ainda mancham a santa kaya em terras Tupi-guaranis. É preciso e urgente legalizar. 
*Dados de 2016. 
__________ 
Gravado ao vivo no show de lançamento do EP "Num Sentido Geral". 07.07.18 - Uthopia São Pedro/JF 
Captação de áudio e mixagem: Kasron Rodrigues 
Cinegrafia e edição: Rodrigo Ferreira (@digoferreiraphotos)
Back to Top